10 de mai de 2016

Lembranças da HP

Estava dia desses vasculhando baús vendo a coleção de jornais Hora do Povo, que eu comprava na adolescência - era o mais acessível: 50 centavos nas bancas da Av. Rio Branco. Uma das coisas que me agradava no jornal era sua abordagem radical, de esquerda, e com manchetes elaboradas, ousadas e algumas com belo tom de humor, o que era raro naqueles tempos pré-redes sociais.

Agora joguei todos fora, mas não posso deixar de rememorar algumas daquelas manchetes.


Porrada nos cornos quebra os dentes do Império, um dia após o 11 de setembro.

Centenas de vândalos ianques já no inferno. O resto a caminho, sobre o terror que os invasores americanos estavam passando nas primeiras semanas no Iraque, com derrotas sucessivas.

Comandante das tropas ianque é mandado pela mulher, mais uma postagem criticando os invasores americanos, com a veia machista que era própria da época.

Iraque não é puteiro, diz o delegado de costumes de Bagdá, também sobre as derrotas sofridas pelo exército americano no país. O subtítulo dizia: é por isso que a Ana Paula Padrão não põe os pés lá.

Otavinho pego no elevador de serviço com o Cabo Hide, sobre o apoio empolgado da Folha de SP (cujo dono é o Otávio Frias Filho, pai do editor Otavinho) à invasão americana.

Otavinho reivindica a Lula embaixada na Disneylândia, sobre as futilidades do editor da Folha.

Nem todas as manchetes eram em tom de piada. Algumas eram sérias, clássicas, com estilo. A minha favorita foi a que usaram quando o presidente do PSDB foi enquadrado num escândalo e abandonado pelo partido que presidia: PSDB suicida seu presidente e leva flores ao funeral.


Um comentário:

Marcelle Araujo disse...

Porrada nos cornos quebra os dentes do Império
essa foi a capa do jornal a hora do povo que sediava o MR8 eu fazia parte da juventude deles na época