2 de mai de 2016

o corte

acordo tarde, os meus olhos ardem
no encontro com o sol (eu estou só)
não há outro lugar pra me abrigar

tão forte o corte que sinto no corpo
tão corpórea dor de púrpura cor
outro lugar não sei (eu quero me esconder)

no universo que conspira ao meu redor
nesse verso que suspiro com temor
o inverso do que eu pretendia ser
alvorece e só me resta obedecer

acordo tarde, os meus olhos ardem
no encontro com o sol (ainda estou só)
não há outro lugar pra me abrigar

se já é tarde, se o dia se perde
se você se foi, se acabou
o corte já fechou
mas a dor não passou


Nenhum comentário: